Desafios em tempo de pandemia: como se adaptar a uma nova realidade

Qualquer mudança abrupta nas nossas vidas vem abalar toda uma rotina e segurança que nos parecem cada vez mais frágeis. Projetos pessoais, planos profissionais e objetivos a médio e a longo prazo foram retirados da ordem e baralhados, como peças de roupa numa máquina de lavar, em modo de centrifugação. Apesar das incertezas do presente, o destino parece voltar a dar e a baralhar o leque de possibilidades e é importante reavaliar as situações a todo o momento. Neste artigo, partilhamos alguns conselhos para saber como gerir o plano das festas enquanto a vida não volta ao “normal”.

Mulher sentada no sofá a trabalhar de portátil ao colo enquanto tira notas num caderno, teletrabalho

Se alguns têm a capacidade de manter a sua situação financeira inabalável face às circunstâncias, o mesmo não acontece com a maioria da população. Desde dia 16 de março de 2020, quando o atual Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa se dirigiu ao país e decidiu convocar o Concelho de Estado para deliberar sobre um potencial estado de emergência, a vida dos portugueses deixou-se abalar pela pandemia por Covid-19. Muitos foram os que entraram em Layoff, outros viram os seus rendimentos e rendas retirados temporariamente, e mais uns milhares ficaram sem trabalho.

Numa época em que nada é garantido e o mundo ameaça dar uma cambalhota para trás a qualquer momento, é preciso repensar os planos traçados antes da pandemia. Adiar, manter ou criar são decisões importantes a serem tomadas, para preservar alguma da segurança que nos foi retirada.

Reunião à mesa, duas pessoas, portatil, plantas, café, sol

Adiar

É prudente adiar todo e qualquer investimento que represente um risco acrescido. Dependendo da sua situação financeira, talvez queira repensar aquela verba que estava destinada às férias num país vizinho ou aquele investimento num equipamento novo que ansiava por comprar há meses.

Mais do que nunca, é recomendável que não viva acima das suas possibilidades. Independentemente de estar a beneficiar ou não de apoios extra destinados a minimizar os danos causados pela Covid-19, é aconselhável adiar investimentos e despesas desnecessárias.

Homem assustando, de fato e gravata suja de compota, a comer uma bolacha recheada

Manter

A vida ficou como que em suspenso, mas continua, a um ritmo diferente. Apesar de ser recomendável não realizar despesas extra, há que avaliar cada caso em particular e ter em mente que, apesar do impasse, a vida deve seguir o seu rumo e há projetos que são importantes de manter, não só porque nem tudo pode ficar em suspenso ad eternum, mas também porque é necessário continuar a dar algum sentido à vida, para bem da saúde mental de todos nós.

Projetos que não tenham um grande impacto na sua vida financeira devem-se manter, assim como aqueles que o possam ajudar a sentir que a sua vida não parou por completo, ainda que já tenha regressado ao trabalho e deixado o estado de desconfinamento.

Homem com mulher às cavalitas e a sorrir

Criar

A maioria das pessoas não estava preparada para um embate desta magnitude. Talvez por isso seja interessante e motivador criar alternativas para um obter um rendimento financeiro extra, como complemento do seu salário ou, para aqueles que estão em paragem total de atividade económica, reinventar todo um modelo de negócio e adaptarem-se a uma nova realidade.

Todas as situações têm um lado positivo e outro menos positivo, mas tudo o que a mudança opera conduz, inevitavelmente, à evolução. E uma vez que manter o pensamento positivo é a melhor defesa imunitária, por que não pensar em avançar com aquele projeto em part-time que nunca concretizou por preguiça ou dar uma volta de 360º à sua estratégia de negócio?

Homem sentado num sofá amarelo de perna traçaca a escrever

Adaptar-se é o mote

Não há volta a dar! A melhor forma de lidar com as situações que não dependem diretamente de si é: aceitar, adaptar e agir. Se se encontra sem trabalho neste momento ou o seu rendimento é insuficiente pare e analise. Olhe para si próprio e comece a reparar nas competências que tem e que pode utilizar para gerar uma nova forma de rendimento.

Se o seu ego lhe disser que não sabe fazer outra coisa, ria-se e continue a traçar um plano rumo à sua independência financeira. Pode ser através da revenda de coisas usadas que tem em casa, a reciclagem de materiais, a criação de um novo projeto ou da oferta de prestação de determinados tipos de serviços que estão a ser requisitados atualmente pelo mercado.

Independentemente das dificuldades, não desanime. Para todo o problema existe uma solução.

Deixe um comentário

Don`t copy text!